Obs.: você está visualizando a versão para impressão desta página.
Voltar ao topoVer em Libras

SAÍDA DA GRÉCIA DA ZONA DO EURO SERÁ INÍCIO DO FIM DO BLOCO, DIZ PREMIÊ#

  1. Início
  2. Artigos
  3. Geral
  4. SAÍDA DA GRÉCIA DA ZONA DO EURO SERÁ INÍCIO DO FIM DO BLOCO, DIZ PREMIÊ
« Mais recente🔀Categoria:Geral
ImprimirReportar erroTags:grécia, euro, zona, ser, foi, grego e ministro283 palavras2 min. para ler

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse hoje (19) que a saída da Grécia da zona do euro marcará "o princípio do fim" do bloco econômico. A declaração foi feita em entrevista publicada hoje (19) pelo jornal austríaco Kurier.
"O famigerado Grexit [trocadilho em inglês sobre a saída da Grécia da zona do euro] não pode ser uma opção, nem para os gregos nem para a União Europeia. Será um processo irreversível, será o princípio do fim da zona euro", disse o primeiro-ministro na entrevista.

O premiê grego lembrou que "até o presente, a Europa tem-se orientado por uma ideia de unidade", e que esse ideal que não deve ser ameaçada. "Uma opção contrária significará o fracasso dos ideais europeus", advertiu.

Segundo Alexis Tsipras, o debate sobre o Grexit, que tem ocorrido nos últimos dias por causa da ausência de um acordo entre o governo de Atenas e seus credores, "foi desencadeado quando se começou a aplicar o programa rígido de reformas imposto pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional".

Apesar dos sacrifícios consentidos pela população grega, "a Grécia não se tornou mais competitiva, além do que a dívida do Estado não se reduziu". Nesse sentido, o primeiro-ministro grego defendeu que "o conceito global [das políticas de austeridade] deve ser revisto".

Após um novo fracasso nas negociações europeias, com a Grécia na quinta-feira (18), uma cúpula extraordinária dos chefes de Estado e de governo dos 19 países da zona euro foi marcada para segunda-feira (22) em Bruxelas.

A ausência de um acordo até o final de junho poderá levar a Grécia a suspender o pagamento ao Fundo Monetário Internacional (FMI) do empréstimo de 1,6 bilhão de euros. (Da Agência Lusa )



Fonte: Agência Brasil

Este site usa cookies para melhorar a navegação.
Termos legais e privacidadeOpt-out